Lisbon,
06
Junho
2017
|
18:48
Europe/Lisbon

CBRE Reforça Aposta no Porto

Luís Mesquita Assume Cargo de Business Developer

A CBRE, consultora líder mundial na prestação de serviços para o setor imobiliário, reforça a atividade no Porto com a contratação de Luís Mesquita para o cargo de Business Developer.

Luís Mesquita será responsável pelo desenvolvimento da atividade da CBRE no Porto, que reforça assim a equipa com o objetivo de dar resposta ao forte crescimento da região.

 

Francisco Horta e Costa, CBRE Portugal Managing Director
O mercado do Porto apresenta um crescimento muito relevante em todos os sectores do imobiliário. Este novo dinamismo e todo o seu potencial acabou por conduzir a um reforço da aposta da CBRE na região. O Luís Mesquita vai dar continuidade ao trabalho da CBRE, oferecendo maior proximidade no apoio aos nossos clientes e vai certamente contribuir para o sucesso e crescimento da nossa atividade a norte.
Francisco Horta e Costa, CBRE Portugal Managing Director

Com mais de 20 anos de experiência no setor imobiliário, antes de assumir funções como Business Developer da CBRE, Luís Mesquita foi Diretor Comercial do Centro Empresarial Lionesa – as Fábricas Portuguesas. Ao longo do seu percurso profissional destaca-se ainda a Direção Adjunta e Direção Comercial na FNAC Service, entre 2003 e 2008, e a Direção Comercial do Imorendimento, entre 2008 e 2015.

O mercado imobiliário no Porto tem vindo a crescer a um ritmo nunca visto anteriormente. O Turismo foi o primeiro setor a emergir, alavancado pela instalação no aeroporto do Porto das principais companhias aéreas de low cost: Ryanair (2005) e EasyJet (2015); o que teve como consequência, ao longo dos últimos cinco anos, o aumento do número de chegadas de passageiros e de dormidas em média de 11,7% e 8,3% ao ano respetivamente, resultando na abertura de diversos estabelecimentos hoteleiros, assim como num relevante número de unidades de alojamento local.

O dinamismo no mercado de Escritórios teve início em 2015, com diversos negócios de ocupação de áreas de grande dimensão (1.000 m2 e superior), contrastando com a tradicional procura de áreas entre 100 e 200 m2. O mercado disparou em 2016, com o volume de absorção a dobrar o do ano anterior e atingindo um recorde histórico de 40.000 m2.

O comércio de rua no centro histórico está também em franco desenvolvimento, alavancado pelo turismo e pela renovação de diversos imóveis. Como em Lisboa, o Mercado residencial do Porto começou a recuperar, com a transação de diversos edifícios para remodelação e posterior venda a ocupantes e investidores. De acordo com o INE, o número de transações no Grande Porto registou um aumento médio anual de 26% entre 2014 e 2016. E, no mesmo período, os preços dos apartamentos de posicionamento alto, localizados no centro histórico, duplicaram.