Lisbon,
06
Julho
2018
|
12:32
Europe/Lisbon

CBRE Responsável Pela Gestão De Portefólio De 12 Ativos Imobiliários Do Fundo EREF I

O departamento de gestão de ativos imobiliários da CBRE, consultora imobiliária líder no mercado imobiliário, assumiu a gestão do portefólio do fundo EREF I (Explorer Real Estate Fund I). Com este contrato, a CBRE fica responsável pela gestão de 12 ativos imobiliários.

A consultora destaca que a carteira de 12 ativos corresponde a uma área total de cerca 50 mil m2 e contempla alguns edifícios emblemáticos localizados na zona da Grande Lisboa, destacando-se o Edifício Visconde Alvalade, junto ao Estádio do Sporting Clube de Portugal, o Edifício E, no Alfrapark, e o Edifício Liberty, na Avenida Fontes Pereira de Melo.

Luís Teodoro, Diretor de Gestão de Ativos Imobiliários da CBRE Portugal
O mandato de gestão destes 12 ativos reforça a posição da CBRE neste sector e coloca-nos como um dos principais gestores também na gestão de edifícios de escritórios. É com orgulho que abraçamos este desafio de gerir um portefólio tão diverso para um investidor de referência no nosso mercado. Pretendemos implementar neste portefólio uma filosofia de gestão de escritórios diferenciadora e que tem por base o nosso programa de gestão Office Play que coloca a experiência e o ocupante no centro da nossa gestão.
Luís Teodoro, Diretor de Gestão de Ativos Imobiliários da CBRE Portugal

O Office Play vem dar resposta às tendências e drivers deste mercado. Dá prioridade à experiência do utilizador e trabalha áreas desde o bem-estar, zonas comuns de trabalho, atividades de carácter lúdico e de responsabilidade social, até à utilização de plataformas tecnológicas que facilitam o dia-a-dia não só de quem trabalha nos edifícios, mas também dos visitantes do mesmo.

O fundo EREF I foi lançado em 2017. A Explorer Investments, que actua como Investment Adviser do fundo, foi criada em 2003, e é a sociedade gestora independente de ativos alternativos com maior experiência e track record em Portugal, gerindo e assessorando fundos com valor superior a 1500 milhões de euros, repartidos em três áreas de negócio (Private Equity, Capital de Expansão, Turismo e Imobiliário).